Home Falando com Deus O MAIOR AMOR!!!!

O MAIOR AMOR!!!!

por Sônia Alves
Nenhum homem tem maior amor do que este,… Por essas palavras nosso Senhor mostra até onde o amor a uma outra pessoa deve ser estendido, mesmo ao ponto de entregar a vida em favor de nossos irmãos;[1] que é o maior exemplo de amor entre os homens.
Que um homem entregue a sua vida pelos seus amigos;… E em quais os cristão não são excluídos; e também o grande amor dele para com seu povo, e que explica o que ele há pouco tinha dito, “assim como eu vos amei”, João 13:34; o qual, em um pouco mais de tempo, seria visto, ele entregando voluntariamente a sua vida pelos seus amigos: porque ele não só desceu do céu, e colocou a sua glória e majestade real de lado, mas ele colocou a vida dele de lado; não o seu ouro e prata, e as riquezas deste mundo, que era tudo seu, mas a sua vida; que a qual, nada é mais precioso por um homem, do que a sua vida: e além disso, a vida de Cristo não era uma comum, não era apenas a vida de uma pessoa inocente, ou a vida de um mero homem, mas de um homem em união com o Filho de Deus; ele era o Senhor da Glória e Príncipe da Vida, que foi crucificado e assassinado; uma vida que estava inteiramente ao seu dispor; nunca tinha sido perdida através do pecado, nem poderia ter sido forçado por homens ou demônios; ele a entregou livre e voluntariamente;[2] e que a entregou “pelo”, ou seja, no lugar de, e em vez do seu povo, como um resgate por eles; ele que é a segurança do seu povo, e permanecendo no lugar legal do seu povo, ele levou os seus pecados sobre si, levou sobre si a maldição da lei, aceitou sobre si a ira do seu Pai, e todo o castigo devido a pecado; e assim sofreu a morte, a morte na cruz; o justo, no lugar dos injustos;[3] as pessoas para quem ele entregou a sua vida, que são descritos como sendo os “seus amigos”; não que eles eram originalmente assim; sendo eles os inimigos, e tendo inimizade com Deus,[4] quando ele colocou a vida dele por eles, e os reconciliou; eles não eram como tais que tinham sido amigáveis, ou tinham mostrado qualquer amor e afeto por ele, mas tudo pelo contrário: eles são chamados assim, porque ele tinha os escolhido para serem os seus amigos; ele tinha decidido e resolvido os fazer assim; e morrendo por eles, os reconciliando, visto que eram inimigos; e, por causa disto, pelo seu Espírito e graça, os seus inimigos são feitos amigos; de forma que, o seu amor por eles se evidenciou em dar a sua vida e morrer por eles, e é esse o maior do que qualquer outro exemplo de amor entre os homens: ele colocou a sua vida pelos seus inimigos, sem qualquer visão egoísta, e que, livre e voluntariamente, foi feito assim; considerando que entre os homens, quando um homem morre por outro, ou esse era alguém muito merecedor, ou ele foi forçado a isto, ou foi determinado com a intenção de ter aplausos populares e glória vã.,…
Por essas palavras nosso Senhor mostra até onde o amor a uma outra pessoa deve ser estendido, mesmo ao ponto de entregar a vida em favor de nossos irmãos;[1] que é o maior exemplo de amor entre os homens.
Que um homem entregue a sua vida pelos seus amigos;… E em quais os cristãos não são excluídos; e também o grande amor dele para com seu povo, e que explica o que ele há pouco tinha dito, “assim como eu vos amei”, João 13:34; o qual, em um pouco mais de tempo, seria visto, ele entregando voluntariamente a sua vida pelos seus amigos: porque ele não só desceu do céu, e colocou a sua glória e majestade real de lado, mas ele colocou a vida dele de lado; não o seu ouro e prata, e as riquezas deste mundo, que era tudo seu, mas a sua vida; que a qual, nada é mais precioso por um homem, do que a sua vida: e além disso, a vida de Cristo não era uma comum, não era apenas a vida de uma pessoa inocente, ou a vida de um mero homem, mas de um homem em união com o Filho de Deus; ele era o Senhor da Glória e Príncipe da Vida, que foi crucificado e assassinado; uma vida que estava inteiramente ao seu dispor; nunca tinha sido perdida através do pecado, nem poderia ter sido forçado por homens ou demônios; ele a entregou livre e voluntariamente;[2] e que a entregou “pelo”, ou seja, no lugar de, e em vez do seu povo, como um resgate por eles; ele que é a segurança do seu povo, e permanecendo no lugar legal do seu povo, ele levou os seus pecados sobre si, levou sobre si a maldição da lei, aceitou sobre si a ira do seu Pai, e todo o castigo devido a pecado; e assim sofreu a morte, a morte na cruz; o justo, no lugar dos injustos;[3] as pessoas para quem ele entregou a sua vida, que são descritos como sendo os “seus amigos”; não que eles eram originalmente assim; sendo eles os inimigos, e tendo inimizade com Deus,[4] quando ele colocou a vida dele por eles, e os reconciliou; eles não eram como tais que tinham sido amigáveis, ou tinham mostrado qualquer amor e afeto por ele, mas tudo pelo contrário: eles são chamados assim, porque ele tinha os escolhido para serem os seus amigos; ele tinha decidido e resolvido os fazer assim; e morrendo por eles, os reconciliando, visto que eram inimigos; e, por causa disto, pelo seu Espírito e graça, os seus inimigos são feitos amigos; de forma que, o seu amor por eles se evidenciou em dar a sua vida e morrer por eles, e é esse o maior do que qualquer outro exemplo de amor entre os homens: ele colocou a sua vida pelos seus inimigos, sem qualquer visão egoísta, e que, livre e voluntariamente, foi feito assim; considerando que entre os homens, quando um homem morre por outro, ou esse era alguém muito merecedor, ou ele foi forçado a isto, ou foi determinado com a intenção de ter aplausos populares e glória vã.
0 Comentário(s)
0

Você pode gostar

Deixe um comentário