Home Falando com Deus ACAUTELE-SE DA IMPUREZA ESPIRITUAL;

ACAUTELE-SE DA IMPUREZA ESPIRITUAL;

por Sônia Alves

JESUS Cristo disse a respeito de seus discípulos: “Não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo.”  Significa isso que os verdadeiros cristãos devem tornar-se reclusos ou evitar qualquer contato com outras pessoas? Não; pois, se fosse assim, teriam de sair do mundo. (1 Cor. 5,10) Eles “não fazem parte do mundo” no sentido de que não participam com o mundo na sua busca de poder, riquezas, prazeres irrestritos e práticas erradas. (MAt. 6,31,32,1 Pedro 4,3) Na maior parte, têm os mesmos empregos, usam roupa similar e gostam de muitos modos parecidos de recreação que os outros. Mas não participam nas lutas do mundo, nem nos seus planos políticos e religiosos de perpetuar o sistema malogrado de coisas, com suas esperanças desapontadoras.

Se os cristãos se empenhassem nos modos imorais, enganosos e egocêntricos do mundo, seriam impuros e contaminados aos olhos de Deus. Não poderiam ser usados na adoração pura como ‘vasos’ para o uso de   Deus .

De modo similar, o cristão não pode “margear” os modos do mundo, beirando os limites do modo de vida cristão, e ainda assim permanecer limpo. Tal pessoa é dúplice, não está inteiramente devotada a Deus. Tornar-se-á cada vez mais negligente para com as coisas espirituais e instável na devoção.

INSTRUÇÃO PARA OS CRISTÃOS 

O que  Deus  disse e fez com relação à nação de Israel, lá naquele tempo, não foi apenas para o benefício deles. Revelou Seu modo de pensar e tratar. Por considerarmos estas coisas, nós podemos manter nossa vida ordenada corretamente. O apóstolo Paulo escreveu: “Ora, estas coisas lhes aconteciam como exemplos e foram escritas como aviso para nós, para quem já chegaram os fins dos sistemas de coisas.”

Pensando nas palavras de Paulo, podemos considerar a palestra de Ageu com os sacerdotes, a respeito da pureza e da impureza, para saber em que sentido provê um aviso para nós. Encontramos ali o princípio de que alguém, como “vaso” de Jeová, que leva algo sagrado, não pode automática ou facilmente, sem esforço, transmitir santidade a outra pessoa. Por exemplo, os verdadeiros cristãos têm ‘presentes em si’ a verdade e o espírito de Deus ‘mora neles’, tornando-os puros ou santos à vista de Deus.  Mas, requer esforço da sua parte para falar a verdade e viver a verdade, para manterem seus vasos “em santificação e honra”. E os do mundo impuro, que apenas entram em contato com os cristãos, não se tornam automaticamente santos ou puros. Mesmo que aceitem a verdade das boas novas, requer tempo e esforço para instruí-los e mostrar-lhes o exemplo correto, e requer diligência da sua parte para escutarem, aprenderem e purificarem sua vida.

Por outro lado, o cristão pode ficar facilmente contaminado pela associação com os que não têm apreço da verdade ou dos princípios bíblicos. Conforme salientou o apóstolo cristão Paulo: “Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda,” . Por conseguinte, os cristãos precisam manter-se muito vigilantes quanto às suas associações, porque há nelas grande perigo. Lamentavelmente, porém, apesar desta verdade, alguns associados com as congregações das testemunhas de Jeová talvez achem que não há nada de perigoso em manter associação social íntima com os que não são servos batizados e devotos de Jeová. Isto pode ser uma armadilha.

Naturalmente, poderá haver pessoas com as quais estuda, e algumas destas são gente muito boa, fazendo progresso, gostando de se associar com você, leitor, e os membros da congregação. Estes precisam da sua associação ao ponto necessário, a fim de animá-los e ajudá-los. Mas, há os que não têm nenhum interesse no que a Bíblia diz, ou que nem se importam muito em escutar as boas novas. Alguns destes talvez sejam pessoas retas e respeitáveis, segundo as normas do mundo. Mas a associação íntima com tais é má, pelo motivo de que todos os que não são cristãos devotos se empenham em coisas que não agradam a Deus e podem ser uma influência contaminadora. Podem desviar o tempo, a mente e o coração do cristão da verdadeira adoração. Em  (Efésios 2,3) o apóstolo lembra aos cristãos: “Sim, todos nós nos comportávamos outrora entre eles em harmonia com os desejos de nossa carne, fazendo as coisas da vontade da carne e dos pensamentos, e éramos por natureza filhos do furor, assim como os demais.

Do mesmo modo, quando alguém na congregação cristã é indiferente para com a adoração pura e o serviço de Deus, tal descaso e negligência pode atuar como fermento espiritual e contaminar outros na congregação. Portanto, se for cristão, acautele-se. Poderá tornar-se impuro por ficar negligente para com a verdadeira adoração. Poderá ficar relaxado quanto à associação com o povo de Jeová nas reuniões, no serviço de campo e nas assembléias. Seu amor pelos irmãos poderá esfriar. Poderá até mesmo sofrer falta de fé, “o pecado que facilmente nos enlaça”.  Daí, você mesmo poderá na realidade tornar-se influência contaminadora para os outros. Pela associação social íntima com os do mundo, ou mesmo com cristãos que são tíbios, frios, temerosos ou indiferentes para com a adoração pura, poderá perder bênçãos espirituais e até mesmo a própria vida.

PROSPERIDADE ESPIRITUAL PARA OS LIMPOS

Os que se mantêm limpos, tendo fé forte e interesse na adoração pura e nos concristãos, não esperam grande prosperidade material. O que procuram é bênçãos e prosperidade espirituais. Ao mesmo tempo, têm a garantia de que receberão as coisas materiais de que realmente precisam. Há forte evidência de que Jeová tem derramado grande prosperidade espiritual sobre suas testemunhas cristãs no tempo atual. Eles têm feito todo esforço para pregar as boas novas do Reino ao máximo possível. Sua pregação se estende a mais de 200 terras, e o notável aumento, de centenas de milhares de pessoas se juntarem a eles cada ano na adoração pura, atesta a bênção de Jeová. Estes são fatos do registro histórico, e podem ser encontrados nas colunas de A Sentinela* e no Anuário de cada ano das testemunhas de Jeová.

Jeová é muito amoroso para com os do seu povo e ajuda os que o amam a ser bem sucedidos. E se continuarmos vigilantes, poderemos usufruir o resultado expresso confiantemente pelo escritor bíblico: “Ora, nós não somos dos que retrocedem para a destruição, mas dos que têm fé para preservar viva a alma.”

0 Comentário(s)
1

Você pode gostar

Deixe um comentário