Home Esporte Toro Loko joga bem e bate o Corinthians, na Arena Corinthians, por 2 x 0.

Toro Loko joga bem e bate o Corinthians, na Arena Corinthians, por 2 x 0.

por Mauricio Camargo

Corinthians erra bastante e Red Bull joga solto

O Corinthians começou a partida destinado a, naturalmente, buscar o jogo pelo lado direito. Com Léo Santos, um zagueiro destro, improvisado na lateral esquerda, as bolas sempre foram destinadas a Fagner. O jogador, porém, não mostrou o alto nível apresentado no final de semana, quando mudou a partida contra a Ponte Preta. Erros de passe e dificuldade para marcar Osman, no entanto, marcaram a etapa inicial do camisa 23.

Enquanto o Timão buscava uma solução para a marcação campineira, os visitantes demonstraram um toque de bola bastante seguro na saída de jogo e chegaram a ameaçar em lances construídos por Osman e Uillian Correia. A finalização foi a questão crucial do Red Bull, que sempre tentou arremates de fora da área, sem grande perigo para Cássio. O melhor foi uma cabeçada de Roberson, encaixada pelo arqueiro.

Ainda que tivesse dificuldades, o Alvinegro conseguiu entrar no jogo sempre que Jadson tinha o mínimo de espaço para pensar. Normalmente bem marcado, o camisa 10 levou perigo nas bolas paradas, principalmente escanteios. O toque de maior classe veio em uma bola mal rebatida pela defesa, que deixou o armador no mano a mano. Rapidamente, Jadson acionou Boselli por cima da zaga, o argentino cortou a marcação e bateu de esquerda, parando em Júlio César.

O lance do centroavante foi apenas um pequeno lampejo dos corintianos, que mantiveram as dificuldades em sair jogando até o intervalo. Coube a Carille, então, buscar alternativas para que a sua equipe ao menos impusesse pressão sobre o adversário no campo de ataque.

Red Bull aproveita as chances

O treinador retornou para o segundo tempo apostando em mais profundidade pelas pontas, com Pedrinho substituindo Thiaguinho e Avelar entrando na vaga de Léo Santos. Ramiro, que ficou pela ponta nos primeiros 45 minutos, foi deslocado para a faixa central para fazer companhia a Ralf.

A dificuldade corintiana para criar seguiu viva, dessa vez sem um domínio da posse de bola pelos campineiros. Um pouco mais cansado com relação aos 45 minutos iniciais, o Red Bull esperou que o Timão tomasse as primeiras ações em campo para buscar os contra-ataques. Poucas coisas aconteceram até os 25 minutos, quando Carille acionou Gustagol.

O segundo centroavante melhorou a produção do ataque, mas o time da casa teve sua grande chance quando Boselli roubou a bola de Uillian Correia, cortou o volante e ficou com duas opções de passe na entrada da área. O argentino, porém, tentou dar mais um corte, mas acabou desarmado. Na resposta, em falta cobrada na área, a zaga não afastou e Ytalo, após toque na segunda trave, abriu o placar para os campineiros.

Gustagol chamou o jogo e quase deixou tudo igual na sequência, parando em boa defesa de Júlio César após forte cabeçada. O atacante ainda viu uma bola ajeitada por Boselli sobrar para ele dentro da área, mas ir desviada para escanteio. No último lance, com o Corinthians todo desarrumado, Bruno Tubarão subiu sozinho na grande área e fechou o placar.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 0 X 2 RED BULL

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 30 de janeiro de 2019, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Furlan
Assistentes: Herman Vani e Vitor Carmona
Público: 23.641 pagantes
Renda: R$ 753.456,00
Cartões amarelos: Fagner (Corinthians); Uillian Correia e Aderlan (Red Bull)
Gols:
RED BULL: Ytalo, aos 30, e Bruno Tubarão, aos 48 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Léo Santos (Danilo Avelar); Ralf e Thiaguinho (Pedrinho); Ramiro, Jadson (Gustagol) e Mateus Vital; Boselli
Técnico: Fábio Carille

RED BULL: Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Uillian Correia, Jobson (Barreto), Pio (Bruno Tubarão) e Osman; Roberson (Everton) e Ytalo
Técnico: Antonio Carlos Zago

0 Comentário(s)
1

Você pode gostar

Deixe um comentário