Home Esporte Após o 0 a 0 do tempo normal, Macaca supera o Vila Nova nas cobranças, fatura R$ 1,5 milhão e pega o Afogados-PE

Após o 0 a 0 do tempo normal, Macaca supera o Vila Nova nas cobranças, fatura R$ 1,5 milhão e pega o Afogados-PE

por Mauricio Camargo

Com a presença do técnico João Brigatti nas tribunas do estádio Moisés Lucarelli, a Ponte Preta empatou sem gols com o Vila Nova, mas venceu nos pênaltis por 5 a 3 e avançou para a terceira fase da Copa do Brasil.
Com a classificação, a Ponte embolsa R$ 1,5 milhão e terá pela frente o surpreendente Afogados-PE, que na última quarta-feira eliminou o Atlético-MG também nos pênaltis (7 a 6), após empate por 2 a 2 no tempo normal. Ainda sem data definida, o confronto será realizado em jogos de ida e volta, sem vantagem de gol fora de casa. A decisão da vaga será em Campinas. De todas as 12 partidas já realizadas nesta segunda fase da Copa do Brasil, oito foram decididas nas penalidades.
Com o empate diante do Vila Nova, a Ponte Preta fecha o mês de fevereiro com apenas uma vitória, conquistada no último dia 13, sobre o Novo Hamburgo, por 2 a 1. Além disso, a Ponte Preta segue sem vencer o Vila Nova desde 2014. Entre 2018 e 2019, foram quatro confrontos pela Série B, com três empates e uma vitória do Vila.
O jogo
Tudo parecia certo para a estreia de João Brigatti, mas a Ponte preferiu evitar qualquer risco de anulação da partida. Apesar do esforço em registrar o técnico no BID, o clube não recebeu nenhuma confirmação oficial da CBF de que poderia contar com o treinador à beira do campo e optou pela manutenção do coordenador técnico Fabinho Moreno à frente da equipe como interino — a exemplo do que já havia acontecido no sábado.
Sem vencer em casa desde o fim do mês passado, quando bateu o Corinthians por 2 a 1, a Ponte Preta iniciou a partida com muitas dificuldades de criação. A primeira chance de perigo veio somente aos 24′, quando Apodi escorregou e finalizou para fora. Um minuto depois, Roger recebeu linda assistência de João Paulo, chutou no canto direito, mas tirou demais do goleiro Fabrício. O Vila Nova, por sua vez, pouco ameaçou a meta de Ivan.
A segunda etapa seguiu o mesmo roteiro dos primeiros 45 minutos, mas desta vez o Vila Nova teve a melhor chance para abrir o placar. Aos 23’, após cobrança de falta de Gilsinho, Brunão antecipou Ivan, mas cabeceou para fora. Aos 26’, Roger ficou cara a cara com Vinícius e reclamou de pênalti, mas o árbitro entendeu que o atacante se atirou.
A partida não teve outro destino que não fosse a disputa por pênaltis. Roger, João Paulo, Vinicius Zanocelo, Dawhan e Bruno Rodrigues converteram para a Ponte. Do lado do Vila, Gilsinho isolou. A Ponte agora pensa no Paulista, pois domingo enfrenta o São Paulo, às 16h, no Morumbi.
Fora de campo, houve registro de confronto entre torcedores de Ponte Preta, Guarani e Vila Nova nas redondezas do Moisés Lucarelli e Brinco de Ouro.
FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA
Ivan; Dawhan, Wellington Carvalho, Henrique Trevisan e Yuri; Danrley (Vinicius Zanocelo 26/2º), Bruno Reis e João Paulo; Apodi (Bruno Rodrigues 32/1º), Felipe Saraiva (Mateus Anderson 17/2º) e Roger. Técnico: Fabinho Moreno.
VILA NOVA
Fabrício; Crystian, Danrlei (Brunão 14/2º), Adalberto e Mário Henrique; Pedro Bambu, Liel (Gilsinho 10/2º) e Emanuel Biancuchi; Lucas Silva, Talles e Nando (Dimba 30/2º). Técnico: Bolívar.
Pênaltis: Ponte Preta 5 x 3 Vila Nova.
Local: Moisés Lucarelli.
Público: 2.323 pagantes.
Renda: R$ 48.190,00.
Juiz: Ramon Abatti Abel (SC).
Cartões amarelos: Bruno Reis e Wellington Carvalho (P); Liel e Gilsinho (V).

0 Comentário(s)
2

Você pode gostar

Deixe um comentário