Home Falando com Deus A Vida Eterna Vence a Morte;

A Vida Eterna Vence a Morte;

por Sônia Alves

Acontecerá que, afinal, virá o tempo em que a própria morte será banida. Paulo escreveu, parafraseando do livro de Oséas, acerca da ressurreição que se dará quando Jesus regressar: “Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno [sepultura], a tua vitória?” (1 Coríntios 15:53-55). A morte será tragada e derrotada na vitória da vida eterna.

Ver o futuro por essa ótica pode nos dar esperança e otimismo em tempo de grande perda. “Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que  dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança” (1 Tessalonicenses 4:13).

Um futuro além de nossas melhores esperanças

Algumas pessoas ficam desconcertadas perante a ideia de uma vida eterna. Alguns acham que esta vida é suficientemente penosa e difícil, por isso, por que haveriam de querer viver eternamente? Outros pensam que a eternidade parece vazia e desinteressante, e que se a vida eterna significa deixar o prazer desta vida, então não justifica o esforço. E pensam que é melhor desfrutar dos bons momentos agora e se preocupar com a eternidade noutra ocasião.

Não é mesmo interessante que, em todas as abordagens sobre a eternidade e em todas as escrituras lidas, a Bíblia não faz nenhuma menção de irmos para um lugar, ou para um estado de existência, chamado ‘ céu ’? Lemos que Deus quer nos dar uma vida eterna e imortal. Somos assegurados que ela é mais valorosa que qualquer tesouro (Colossenses 1:26-272:2-3). Mas o que faremos durante essa eternidade? Se receber a vida eterna requer esforço e sacrifício nesta vida, ela vai valer a pena?

Lembremo-nos das limitações de nossa experiência e observação humanas. Deus é tão superior a nós que se torna difícil compreender os Seus caminhos e pensamentos (Isaías 55:8-9). O que Deus está preparando para nos dar está muito além de nossa mais incrível imaginação e fantasia: “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre” (Efésios3:20-21).

Deus é o Criador. Ele projeta, constrói e executa. Ele desenhou o universo; e delineou o Seu plano e o nosso galardão muito antes de colocá-lo em execução (Mateus 25:34). Ele está planejando e preparando uma vida para nós, na Sua família, infinitamente mais instigante e compensadora (João 14:1-3). A princípio, somente podemos tentar imaginar a fantástica, gratificante e eterna vida prazerosa que Ele quer nos dar — uma vida eterna livre de limitações humanas, de desapontamentos, de fraquezas e sofrimentos.

A dor, a decepção e a morte não mais existirão. João escreveu de um “novo céu e uma nova terra” (Apocalipse 21:1): “E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas” (versículo 4).

Em Apocalipse 21 e 22 aprendemos que todos os que receberem a vida eterna serão uma família, os filhos de Deus, com relacionamentos estreitos na nova Jerusalém. Os princípios de relacionamento que Deus está nos ensinando agora serão praticados nessa vida futura. É por isso que Deus quer que aprendamos e pratiquemos os Seus caminhos em nossas vidas agora. O que podemos levar conosco para a eternidade é o nosso amor e afeto de uns pelos outros.

A expectativa e significado completos de uma existência eterna com Deus e Jesus Cristo estão simplesmente além da nossa total capacidade de entender ou explicar. “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele; porque assim como é o veremos” (1 João 3:2).

João afirma que Deus não revelou tudo o que tem em mente para nós, já que ainda não podemos conceber o que significa ser totalmente glorificado como Jesus Cristo. Nossas mentes finitas não podem entender tudo isso.

Vimos profecias que nos levam cerca de mil anos no futuro, além do prometido regresso de Cristo. Paulo escreveu que vemos os conceitos e promessas espirituais por um vago esboço como se estivéssemos vendo “uma imagem imperfeita num espelho embaçado” (1 Coríntios 13:12 BLH). Mas, como Paulo diz neste mesmo versículo, um dia, nós veremos claramente― tão claramente como Deus vê tudo sobre nós.

Respondendo a Deus pela fé

Vale a pena buscar o Reino de Deus em vez dos prazeres pecaminosos ou das prioridades deste mundo? Muitos que não estão seguros disso.

Mas Deus nos assegura que a Sua promessa de vida eterna vale muito a pena, mais do que qualquer esforço, lutas e desilusões da vida e da morte: “Por isso, não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente, não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (2 Coríntios 4:16-18).

Afinal de contas, a vida eterna é uma questão de fé (João 3:16). A fé não é simplesmente um sentimento morno e vago de que Jesus fez tudo por nós. A fé é um estado de espírito expressado pelo tipo de pessoa que escolhemos ser e pelas ações em que acreditamos (Tiago 2:20-24). Quando tudo tenha sido dito e feito, temos de ter fé que a vida eterna vale tudo o que for exigido suportar para recebê-la (Romanos 8:18Filipenses 3:12-14).

Aprender mais sobre a vida, morte e o que acontece depois de morrer tem que causar um forte impacto no modo como vivemos. Esse conhecimento deve fazê-lo parar para refletir sobre o que você está fazendo com esse precioso dom de vida e se você está fazendo uso de sua vida hoje em dia para se preparar para a vida eterna que Deus lhe oferece.

O Salmo 90 foi composto por Moisés. Nele, Moisés contrasta o poder de Deus com debilidade humana. Moisés descreve como Deus vê o tempo, o breve momento que representa a nossa vida, e o castigo que, às vezes, é necessário para se corrigir os caminhos do homem. Nos versículos 10-12 ele escreve: “A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos. Quem conhece o poder da tua ira? E a tua cólera, segundo o temor que te é devido? Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio”.

Infelizmente, a maior parte das pessoas só parece perceber que a vida é curta quando muito dela já passou. Temos que aprender a medir os nossos dias, tendo em conta que o nosso tempo passará e que devemos ter cuidado para tirar o máximo deles. Salomão nos disse para nos lembrarmos do Criador nos dias da nossa juventude (Eclesiastes 12:1).

O que você fará?

Pedro escreveu sobre o apogeu do plano de Deus. Ele profetizou de um tempo durante o qual tudo que é físico será queimado e substituído por novos céus e nova terra. Então ele apresenta uma questão desafiante e retórica: O quanto esse conhecimento muda a sua vida? “Mas o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade …” (2 Pedro 3:10-11).

Entender o significado da vida, da morte e do que vem depois desta vida física pode servir de excelente conforto e esperança diante da morte. Também deve ter um grande impacto no tipo de pessoa que você é para motivá-lo a viver cuidadosamente e a fazer sábias escolhas. Sabendo que o propósito desta vida é nos preparar para uma vida eterna de poder e de capacidade além de nossa imaginação, isso deve nos encorajar a voltarmos para Deus, pois assim Ele poderá começar a cumprir em você o Seu propósito!

0 Comentário(s)
0

Você pode gostar

Deixe um comentário