Home EsporteFutebol do Interior Entrevista com Tom, O “Barba Assassina”, atacante da Ferroviária/SP

Entrevista com Tom, O “Barba Assassina”, atacante da Ferroviária/SP

por Igor Sedano

Wellington Faria Mendes, 29 anos, natural de Jacarezinho/PR, conhecido também por “Tom” e “Barba Assassina”, é o artilheiro da Ferroviária na Copa Paulista 2018, com 9 gols. Se tornou m dos principais atacantes do interior paulista.

Com passagens pelo Velo Clube de Rio Claro/SP em 2010, onde disputou a “bezinha” do Futebol Paulista, marcando 7 gols e sendo vice-campeão, conseguindo o acesso para a Série A3. Em 2011 foi para a Santa Cruzense/SP, onde também se tornou vice-campeão e o acesso para a Série A2. Depois teve breve passagem pelo Batatais/SP, onde marcou 6 gols na Série A3. Retornou ao Velo Clube, onde disputou a Série A3 e A2, de 2014 a 2016.

Já em 2017, levado para a Internacional de Limeira pelo técnico João Vallim, o atacante viveu momento de glórias com a camisa leonina, ano em que conquistou o acesso para a Série A2, sendo vice-campeão da A3 e também vice-campeão da Copa Paulista, perdendo a final nos pênaltis para a Ferroviária/SP, sua atual equipe. Tom permaneceu na Inter de Limeira até o começo de 2018 quando disputou a Série A2, marcando 8 gols e duas partidas da Copa do Brasil, anotando 1 gol, após ser eliminada pela Ponte Preta na segunda fase.

Na Internacional o atacante entrou para o rol dos maiores artilheiros da história da equipe limeirense, marcando 26 gols. Após o término da Série A2 e da Copa do Brasil, Tom foi para a Ferroviária/SP, onde também vive em lua de mel com a torcida da locomotiva. Jogou o Campeonato Brasileiro da Série D, em 6 jogos marcou 2 gols. É o artilheiro da equipe na Copa Paulista com 9 gols.

Acompanhe a entrevista que o atacante concedeu ao repórter Igor Sedano:

– Em 2017 você foi um dos principais jogadores da Inter de Limeira no acesso para a Série A2 e também pela campanha na Copa Paulista, que rendeu ao Vice-Campeonato. Qual a sensação de ter vestido a camisa da Internacional ?

Foi uma experiência muito boa ter vestido a camisa da Inter nesses anos que estive lá, um clube de muita tradição e torcida forte, me destaquei individualmente graças a Deus mas se não fosse os meus companheiros a nossa campanha não seria concluída com esse sucesso, creio eu que todos ajudaram de alguma forma eu me destaquei como artilheiro graças a Deus.

– Este ano você foi para a Ferroviária/SP para disputar o Campeonato Brasileiro Série D e a Copa Paulista, acredita que está sendo o melhor ano da sua carreira ?

Posso dizer que sim, fui muito bem acolhido na Ferroviária e me sinto em casa, já tenho um carinho enorme pelo clube, mesmo não conseguindo avançar na série D do Brasileiro, o clube não deixou cair e com a nova comissão técnica conseguimos dar sequência no trabalho, agora na copa paulista onde temos grandes chances de tornarmos bi campeões da competição.

– Seu faro de gol é incontestável, tem algum ídolo em que se espelha do passado e também do presente?

Costumo dizer que mesmo atuando mais pelas beiradas do campo e não sendo aquele 9 de ofício, procuro estar sempre próximo do gol para aproveitar as chances no jogo, também gosto da bola parada, já conseguir marcar dois gols de falta na Copa Paulista 2018 e venho treinando bastante, ídolos do passado gosto muito do Ronaldinho gaúcho mas se tratando de gols creio que o Ronaldo Fenômeno tinha mais faro.

– Existem propostas para você deixar a Ferroviária? Ou deseja permanecer na Locomotiva ?

Estou trabalhando muito forte nesses dois anos (Inter e Ferroviária) e conseguindo fazer o que o atacante precisa que são gols e com isso algumas propostas chegam, é normal, mas junto com meu empresário estamos analisando o que for melhor pra mim. Claro que pretendo continuar na Ferroviária aqui a estrutura é ótima a uma vitrine é muito boa já que iremos disputar a elite do futebol paulista em 2019, estou me sentindo em casa, me dando bem com todo mundo e também com a torcida que é muito calorosa.

– Em 2017 você precisou de 48 jogos para marcar 17 gols. Já em 2018, você em 39 jogos alcançou a marca de 20 gols. Qual o segredo e o que você fez de diferente para ultrapassar a marca do ano passado em menos jogos ?

Acho que todo atacante procura melhorar sua marca de ano em ano e comigo não sou diferente em 2017 fui muito feliz na Inter de Limeira sou muito grato a instituição consegui dar muita alegria pra torcida. E em 2018 já consegui melhorar minha marca já estou com 20 gols e pretendo aumentar chegando na final da copa paulista agora com a ferroviária o segredo com certeza é o trabalho dia a dia sempre procuro melhorar e com isso as coisas fluem naturalmente.

São Paulo 0 x 3 Inter de Limeira – Copa Paulista 2017/ Morumbi. Foto: Arquivo pessoal – Tom

– E o apelido dado pelo grande narrador esportivo – Edmar Ferreira, de ” Tom – O Barba Assassina”, como surgiu ?

Foi em uma partida quando ainda jogava pela Internacional de Limeira, acho que ele se empolgou quando eu fiz um gol, e no começo ele disse ” Piiiiiiimba, Tom o barba do capeta”, mas não pegou muito bem, e aí no próximo jogo, quando fiz gol novamente, ele já mudou o apelido, para “Barba Assassina”. Fiquei muito feliz com o apelido, pois isso gerou uma identificação com a torcida da Inter, e até hoje muitos me chamam por esse apelido. Tanto é que nas finais da Série A3 que disputei pela Inter, os torcedores foram ao estádio com máscaras relacionadas ao apelido. E novamente agradeço ao amigo Edmar Ferreira, por ter colocado esse apelido que pegou.

A Ferroviária/SP entra em campo neste sábado, pelo jogo de volta das quartas de finais da Copa Paulista, contra o Novorizontino, em Araraquara/SP. O primeiro jogo ficou empatado em 1×1. A Locomotiva precisa vencer por qualquer placar para avançar às semifinais. Se empatar, a decisão será nas cobranças de pênaltis.

0 Comentário(s)
1

Você pode gostar

Deixe um comentário