Home EsporteBasquete Cuiabá e outros 18 clubes da Série B apoiam Lei de Democratização das transmissões

Cuiabá e outros 18 clubes da Série B apoiam Lei de Democratização das transmissões

por Nilton Castelo

O Cuiabá Esporte Clube e mais 18 clubes da Série B do Campeonato Brasileiro participam de campanha favorável à Medida Provisória 984, que altera os direitos de transmissão e repasse exclusivamente para o mandante de cada partida. Somente a Ponte Preta-SP, por enquanto, não está no grupo que apoia a medida, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Entretanto, os clubes ressaltaram o compromisso em negociar coletivamente a comercialização desses direitos. Antes do surgimento da MP, os direitos de transmissão eram divididos entre os dois times, com base na Lei Pelé. Os clubes fizeram manifesto durante essa sexta-feira (17) nas redes sociais, inclusive o Cuiabá.

“O Cuiabá também apoia essa causa! Clubes do Campeonato Brasileiro da Série B também são favoráveis à Lei de Democratização das transmissões de futebol. Entretanto, ressaltamos o nosso compromisso em negociar coletivamente a comercialização desses direitos. #PelaLeiDoMandante#negociaçãocoletiva, postou o Dourado no Instagram.

O manifesto teve o apoio de América-MG, Avaí, Botafogo-SP, Brasil de Pelotas, Chapecoense, Confiança, CRB, Cruzeiro, CSA, Cuiabá, Figueirense, Guarani, Juventude, Náutico, Oeste, Operário, Paraná, Sampaio Corrêa e Vitória.

Publicada pelo governo federal no último dia 18 de junho, a MP tem um mês para ser aprovada no Congresso Nacional, com possibilidade de prorrogação de mais 30 dias para análise.

Confira a nota: Por que os Clubes apoiam a MP 984 e a criação da Lei de Democratização das Transmissões de Futebol

  1. Porque o torcedor é diretamente beneficiado. A MP acaba com os “apagões”, isto é, os jogos sem nenhuma transmissão, que ocorriam quando um canal tem o direito de um time e outro canal tinha o direito do outro. A situação anterior impedia, por exemplo, que mais da metade dos jogos do Campeonato Brasileiro fossem exibidos na TV fechada. Com mais partidas sendo exibidas, teremos um futebol mais democrático, mais acessível e mais barato.

  2. Porque ela empodera os clubes a negociar seus direitos e incentiva a união entre as equipes. Esse formato prevalece nos principais mercados de futebol do mundo. O Brasil está pronto para esse passo libertador, que certamente será o ponto de partida para outros aprimoramentos. Com a MP, quanto mais os clubes estiverem unidos, mais vão ganhar.

  3. Porque a concorrência vai aumentar. O modelo que vigorava no Brasil gerou concentração do futebol nas mãos de poucos investidores. Consequentemente, não alcançou todo o seu potencial e ainda gerou distorções no seu modelo de distribuição. A MP viabiliza a entrada de novos investidores no mercado, sem afastar os atuais, aumentando a disputa. E isso é bom para os clubes e melhor ainda para o torcedor.

  4. Porque devemos seguir o exemplo de quem fez e deu certo. A legislação anterior tinha mais de 50 anos e não refletia uma forma moderna de negociação dos direitos esportivos. A ampliação de investimentos gera aumento de receitas para os clubes, viabilizando a manutenção dos nossos craques por mais tempo no país, além do investimento em estrelas internacionais.

EM RESUMO

Os torcedores ganham com o fim dos apagões de jogos, com mais craques em campo e com um melhor espetáculo no Brasil. Os clubes ganham com mais liberdade e receitas. E o país ganha com os clubes mais sólidos financeiramente, maior geração de empregos e crescimento de impostos pagos aos governos.

Por todas estas razões, APOIAMOS a MP 984/2020 e pedimos a sua CONVERSÃO imediata em Lei!

                                                                           Da Redação / Foto: Reprodução Instagram @cuiabaec / Olhar Esportivo
0 Comentário(s)
2

Você pode gostar

Deixe um comentário